Quando você era adolescente escutava… “Se proteja, menina!”… “Não vá engravidar!” “Foque nos estudos!” E assim você fez. Sua vida profissional decolou… Conquistou seu espaço. E de repente, uma vontade surgiu… QUERO SER MÃE!

Certo?! Errado?! Para essa questão, não existe certo ou errado! É tudo uma questão de ponto de vista! Mas uma coisa é certa! Estamos numa luta constante com nossos óvulos! Eles nem sempre compreendem nossas vontades!

A partir dos 35 anos temos uma queda importante na questão da fertilidade! Dê uma olhadinha na tabela abaixo:

tabela

Calma…você não precisa sair correndo para comprar as alianças e pedir seu namorado em casamento!!! A idade da mulher não é o único empecilho!

Primeiro passo, para quem quer engravidar, é aumentar a frequência nas relações sexuais.

Ok! Mas isso nos parece meio óbvio! Pura matemática! Quanto mais tentativas, maior a probabilidade de “acertar”! Aproveite o seu período fértil (leia aqui dicas de como identificaro  período fértil)!

Fazer um planejamento familiar (se programar mesmo) é algo interessante!

A consulta e acompanhamento com seu ginecologista são indispensáveis! Afinal, como já foi dito, a idade não é o único fator causal da infertilidade! Lembre-se de que este é um problema conjugal! É importante que você e o parceiro sejam avaliados. E, com certeza seu ginecologista saberá a hora certa de encaminhar para o especialista em reprodução!

Enquanto isso, alguns cuidados são importantes:

  1. Procure ter hábitos de vida saudáveis. Sim! Obesidade atrapalha sua fertilidade! (desnutrição também ,ok? Não adianta fazer dietas malucas e desenfreadas por aí.)
  2. Previna DSTs (doenças sexualmente transmissíveis)! Se as tiver, procure seu ginecologista para tratar! Algumas DSTs podem cursar com obstrução das trompas; e sim, precisamos de nossas trompas “limpas” para engravidar de forma natural!
  3. Engravidar mais cedo! (Olha a idade aqui mais uma vez!)
  4. Identificar quem é paciente de risco para infertilidade! Por isso a importância do acompanhamento com seu ginecologista. O diagnóstico precoce pode ser um grande diferencial!
  5. Preserve seus folículos! É neles que estão seus óvulos. Em casos onde a cirurgia ovariana é mandatória, necessidade de quimioterapia, avaliar o congelamento de óvulos é importante!

Engravidar nem sempre é tão fácil quanto parece; mas, com os avanços da medicina, estamos cada vez mais podendo concretizar o sonho de ser mãe, diante de algumas dificuldades! Converse com seu ginecologista!

REFERÊNCIA: TOGNOTTI E. Infertilidade: da prática clínica à laboratorial, 2014, 1.edição