Então meninas, os métodos de longa duração vieram para ficar.

Como opções temos o DIU de cobre (duração 10 anos), SIU Mirena® (duração 5 anos) e o Implanon® (duração 3 anos).

E há algumas situações específicas da nossa vida em que eles se adaptam perfeitamente. Quais são elas?

1) Não desejo engravidar tão cedo.

Muitas mulheres não apresentam desejo de gravidez ou querem ter um tempo prolongado sem pensar nesta opção.

2) Desejo um método altamente seguro.

Sabemos que segurança anticoncepcional de 100% só não tendo relação sexual. Pórem os metodos de longa duração apresentam elevada segurança em comparação aos métodos irreversíveis (laqueadura e vasectomia).

3) Não quero aumentar meu risco de ter trombose.

Sabemos que muitos métodos anticoncepcionais combinados elevam o risco de trombose. Os métodos de longa duração, por conterem apenas progestágeno (ou não conterem nenhum hormônio como no caso do diu de cobre), não aumentam esse risco. Isso não significa que não existe risco de desencadear uma trombose. Lembre-se que eu já escrevi aqui no blog que simplesmente pelo fato de sermos mulheres já temos um risco aumentado de desenvolver essa doença, mas se evitarmos o uso adicional de estrogênio (hormônio feminino presente em anticoncepcionais combinados) evitaremos o aumento de risco para tal. Lembrando que a gravidez aumenta MUITO o risco de desenvolver trombose, ou seja, evitar a gestação é tarefa primordial.

4) Eu já tive trombose.

Quem já teve trombose deve pensar no uso de um método não hormonal ou em um método à base de progesterona (nesse caso deve ter se passado pelo menos 6 meses do diagnóstico de trombose e ter aval do médico vascular ou hematologista). Como nesses casos os médicos sugerem adiar um pouco o desejo de gravidez, os métodos de longa duração tem papel principal.

5) Estou amamentando.

Época ideal para inserção de um método de longa duração. O progestágeno não interfere na amamentação e em alguns casos pode ser inserido logo depois do parto. Lembrando-se que o período ideal entre uma gestação e outra é de pelo menos 2 anos.

6) Fiz cirurgia bariátrica.

Existem cirurgias bariátricas em que é retirado apenas um pedaço do estômago e outras em que é retirado um pedaço do estômago e um pedaço do intestino. Neste segundo caso a absorção de pílulas é altamente prejudicada aumentando o índice de falha. Métodos combinados não orais (injeção mensal, anel vaginal, adesivo) muitas vezes são contra-indicados pois essas pacientes, em decorrência da obesidade, podem ter hipertensão arterial, diabetes, entre outras doenças que impedem o uso de métodos combinados.

Ou seja, que fez cirurgia bariátrica com desvio intestinal deve evitar a gestação por um período de tempo (geralmente os cirurgiões solicitam 2 anos de espera) e devem optar por métodos não hormonais ou à base de progesterona isolada. Métodos de longa duração são muito bem vindos e com boa aceitação.

7) Tenho contra-indicação ao uso de anticoncepcional combinado.

Existem diversas patologias que impedem ou desaconselham o uso de anticoncepcional combinado, entre elas temos a enxaqueca com aura, diabetes descompensado, hipertensão arterial desregulada, tabagismo com idade acima de 35 anos, entre outras. Neste caso a escolha de um método à base de progesterona isolada é uma boa opção.

8) Adolescentes

A gravidez na adolescência tem se tornado cada vez mais comum no mundo inteiro e gera graves consequências ao bebê e aos pais.

Viram? São muitos os casos em que os anticoncepcionais de longa duração podem ser opção!