Meninas, vamos descomplicar um assunto que incomoda muita gente!

A dor pélvica crônica é quando uma dor, que pode ser durante a menstruação, ou não, persiste por mais de 6 meses no “pé da barriga”, associada à depressão, baixa auto estima, múltiplos tratamentos, exames e consultas, tratamentos sem sucesso e que atrapalha o dia-a-dia com a família e no trabalho. Das mulheres que sofrem deste mal, 25% ficam de cama pelo menos um dia por mês, 58% deixam de fazer alguma atividade do dia-a-dia e 90% sentem dor durante a relação sexual!!!!

Essa causa é responsável por 12 a 16% das cirurgias para retirada de útero, porém nem sempre isso resolve, pois 25% das pacientes com dor crônica não têm mais útero, isso significa que nem sempre a causa é ginecológica!

Mas quais podem ser as causas de algo tão ruim??!! Algumas mulheres após uma inflamação, como endometriose, cirurgias e infecções podem ficar com persistência do estímulo de dor, ficando mais sensíveis e sentindo mais dor que o normal até para ovulação, ficar com a bexiga cheia, movimentos intestinais, menstruação e até orgasmo. Ou seja, tudo dói! Ninguém merece!!!

É diferente da cólica menstrual, que normalmente começa alguns meses depois da primeira menstruação da vida (menarca). Em geral começa um pouco antes ou junto com a menstruação, e dura no máximo 3 dias. Ela é causada por contração do útero nesse período, e quando foge desse padrão devem ser investigadas as outras causas.

Por isso, se você tem uma cólica forte, que considera que é fora do normal, não deixe de procurar um médico. Ela precisa ser investigada, pois você não precisa conviver com a dor. Nem sempre é relacionada à parte ginecológica (pode ser intestinal, urinária, cicatricial…), mas descobrindo a causa, pode-se resolver ou amenizar seu problema!

Dor todo dia, ninguém mereceeeeee!

Fonte: Tratado de videoendoscopia e cirurgia minimamente invasiva em ginecologia e Manual de Ginecologia e Obstetrícia SOGIMIG