Oi meninas! Vamos falar de uma doença que pode ser devastadora para muita gente…

Endometriose é definida pela presença de tecido endometrial (é aquela camada de dentro do útero que aumenta e descama em forma de menstruação), fora da cavidade uterina, induzindo uma inflamação crônica.

endometrioendometrio 2

A prevalência é incerta, pois não existe um exame que seja específico para a doença e o diagnóstico definitivo é feito apenas após a cirurgia com a visualização das lesões. Os exames de imagem, como ecografia e ressonância magnética ajudam a suspeitar da doença e também do avanço da mesma.

É feita uma estimativa que esteja presente em 5 a 20% das mulheres com dor pélvica crônica e em 20 a 40% das mulheres inférteis (alguns estudos mostraram que cerca de 50 a 60% das mulheres com endometriose são inférteis).

Existe associação com história familiar, primeira menstruação precoce, ciclos menstruais curtos e primeira gestação tardia.

Hoje não se sabe ao certo a causa da endometriose, existem teorias e estudos, porém as teorias principais não conseguem justificar tudo o que acontece nessa doença. Mas sabe-se que mulheres que tem endometriose tem alteração na função imunológica que afeta a defesa do organismo contra células fora do lugar e favorece o aparecimento e expansão da doença.

Os sintomas mais comuns são dor pélvica, que pode ser muito variável, tanto de intensidade e localização, cólica menstrual com piora progressiva ao longo dos anos e dor durante a relação sexual.

Assim como o diagnóstico, o primeiro tratamento também é cirúrgico, para retirada das lesões, e após a cirurgia o tratamento depende do objetivo da paciente, se quer a tentar engravidar ou não.

Meninas!!! Procurem seu médico se sentirem dor acima do normal ou se verificarem dificuldade para engravidar!!!!

Fonte: Manual de Ginecologia e Obstetricia – SOGIMIG