Girls! Seguinte, agora vamos falar um pouco sobre Mamografia! Isso mesmo, aquele exame que “espreme” as mamas e a maioria das mulheres reclama horrooores de dor ao fazer! Sempre ouço das pacientes que não querem fazer esse exame, e querem substituí-lo e fazer aquele com “gelzinho”, conhecido também por ultrassonografia mamária, porque é muito mais tranquilo. Porém, a mamografia deve ser feita SEMPRE como exame de primeira escolha e eu já explicarei o porquê.

Então, a mamografia é um exame de imagem que utiliza um equipamento de raios-X, isso mesmo, a velha e boa radiografia. O equipamento é um pouco diferente para avaliação da mama pois o aparelho é desenhado para fazer uma imagem de alta resolução. Ele pode ser analógico ou digital. E a dose de radiação varia, sendo superior na digital. Mas, a digital não aumenta o risco para câncer, e tem a vantagem de ter uma imagem com uma qualidade melhor.

O melhor método para fazer diagnóstico precoce de câncer de mama é a MAMOGRAFIA, inclusive os estudos mostram uma diminuição significativa na mortalidade, ou seja, diminui o número de mortes por câncer de mama mesmo! Por que ela pode detectar lesões super pequenininhas, super iniciais, que ainda estão localizadas na mama e não se espalharam para outros órgãos do corpo. Ocasionando uma melhor qualidade de vida para as pacientes, uma cirurgia menor com menos mutilação, e também, em muitos casos, a cura da doença.

Sobre as indicações, posições, orientações gerais e outras “coisitas” mais… fica pro próximo post! Até lá! Beijoooos!

Fonte: Doenças da mama, guia prático baseado em evidências. Autores: Antonio Frasson, Eduardo Camargo Millen, e outros. – São Paulo: editora Atheneu, 2011.