Olá mulheres descomplicadas! Hoje vamos falar um pouco sobre a osteoporose, uma doença cada vez mais comum na nossa população e que pode ter conseqüências importantes na nossa qualidade de vida! Vocês sabiam que a mulher com osteoporose apresenta maior risco de fraturas? Isso pode acarretar prejuízos físicos (obviamente), mas também prejudica o bem-estar psicossocial e financeiro (pois com gesso e até cirurgias fica complicado trabalhar não é?).

A osteoporose é uma distúrbio osteometabólico caracterizado pela diminuição da densidade mineral óssea (DMO) – o osso fica menos denso, mais “poroso”e quebradiço – com redução da força óssea, levando à fragilidade esquelética predispondo a aumento do risco de fraturas.

A Organização Mundial da Saúde propôs uma classificação para definir osteoporose baseada nos resultados da Densitometria Óssea (já descomplicamos esse exame por aqui): uma mulher pode ser diagnosticada como portadora de osteoporose se apresentar DMO, em relação ao adulto jovem, menor que 2,5 desvios-padrões, independente da ocorrência de uma fratura. Densidade mineral óssea entre -1 e -2,5 desvios padrões é classificada como osteopenia, sendo as mulheres nesta condição consideradas de risco para fraturas.

 

osteoporose

 

Infelizmente a osteoporose é uma doença mais comum em mulheres que em homens, e mulheres com 65 anos ou mais, da raça branca e orientais são as mais afetadas. Aff… parece que tudo acontece com as mulheres?!! É que neste caso, o estrogênio, hormônio feminino, tem um papel protetor importante, e na menopausa, devido ao seu declínio, estamos mais sujeitas a este problema!

Outros fatores de risco para a osteoporose incluem sedentarismo, dieta pobre em cálcio, tabagismo, menopausa precoce, história anterior de fraturas ou história familiar de fratura em parente de primeiro grau, além de algumas doenças e drogas / medicamentos que podem ser causas secundárias da osteoporose.

O tratamento da osteoporose deve ser multidisciplinar, envolvendo medidas preventivas e dietéticas, tratamento da doença em si e investigação e tratamento das causas secundárias.

Todas as pessoas com osteoporose devem ser incentivadas a mudanças de hábitos de vida, como realização de atividade física regular, com exercícios de impacto (por exemplo caminhada) e de fortalecimento muscular (musculação), por pelo menos 30 minutos, numa freqüência igual ou superior a 3 vezes por semana. Outro ponto importante é a dieta rica em cálcio e adequada em calorias.

Num próximo post vamos falar bastante da importância do Cálcio na prevenção e tratamento da osteoporose!

Até mais!

FONTES: (1) Consenso Brasileiro de Osteoporose 2002; (2) The prevention and treatment of osteoporosis: a review – 2005; (3) Manual de orientação de osteoporose – FEBRASGO – 2010