Olá, meninas!!!! Hoje iremos iniciar uma série de posts e achamos que vocês irão adorar!!! Organizamos vários posts para explicar e mostrar para vocês o que acontece no organismo materno (corpo da mulher) durante a gestação. Não é um tema super interessante!?

Então, vamos lá… Bom, quando a mulher engravida o organismo dela passa por adaptações anatômicas (barriga e mamas crescem, etc…) e bioquímicas (vááárias alterações hormonais).

Essas alterações decorrem:

  • Da sobrecarga hormonal: ocorre aumento de alguns hormônios e diminuição de outros (Ex: no começo da gravidez os níveis do hormônio 𝑩HCG aumentam e diminui o TSH – hormônio da tireóide). Durante a gestação também  há modificações nos  níveis de estrogênio e progesterona e assim por diante. Alguns hormônios alteram durante toda a gestação (ora mais altos e ora mais baixos) e isso é uma das causas que  faz com que as grávidas tenham mais náuseas e vômitos em alguns períodos da gestação que em outros; que atuam no aumento da tendência de surgir varizes / hemorróidas, constipação, pirose (queimação ), aumento da vontade de urinar… Enfim, é esse “ajuste” hormonal que influencia (em maior ou menor expressão) nos vários sinais e sintomas da gestação!!!!  Voltaremos a falar desse tópico nos próximos posts …
  • Da ação mecânica desencadeada pelo útero: aumento do tamanho uterino e compressão de estruturas vizinhas, como: intestino e bexiga . Com avanço da gravidez, atua na marcha (forma da mulher andar), nas dores na costas, na forma  como respira e se alimenta …
  • Da reação do corpo à presença do bebê e seu tecidos (aloenxerto): sim!!!! O feto é um corpo estranho para o corpo da mulher (credo!). E o corpo da gestante se transforma para não rejeitar o feto.  Essa é uma das causas que faz com que a mulher fique com a imunidade baixa. Pois, com a imunidade baixa, o corpo tem menos chance de desenvolver ” alergia” (digamos assim) ao feto. Interessante, né!?

Sim… a obstetrícia é linda mesmo!!!

Logo, essas adaptações / modificações que ocorrem no organismo materno servem para criar condições para o adequado desenvolvimento fetal.

E apesar de inicialmente a gravidez não ser considerada uma doença, ela pode produzir sintomas, que mesmo fisiológicos, são incômodos;  pode agravar doenças pré-existentes ou, até mesmo, podemos descobrir patologias na gravidez (pois o período gravídico exige muito do corpo da mulher e isso pode exacerbar uma condição clínica que ainda não havia se pronunciado).

Por isso, ficar atenta aos sintomas, seguir as recomendações do seu(sua) médico(a) pré-natalista são fundamentais para você ter uma gestação saudável!!!

Por hoje era isso….

Beijos e até o próximo post……

Fonte: (1)Obstetrícia de Rezende, 2010 ; (2) Obstetrícia de Zugaib, 2012