Hello grávidas! Hoje vamos descomplicar o oligodrâmnio, ou seja, falar um pouco sobre os casos em que o líquido amniótico (que circunda o bebê dentro do útero) está abaixo do esperado.

O volume de líquido amniótico considerado normal varia de acordo com a idade gestacional. Perto das 34 semanas de gravidez atinge seu valor máximo e após as 36 semanas vai diminuindo progressivamente. A faixa de normalidade tem uma grande variação e até o tamanho do bebê pode influenciar na quantidade de líquido (bebês pequenos tendem a ter menos líquido e bebês grandes, mais líquido amniótico).

O médico pode suspeitar que o líquido está baixo durante a palpação abdominal e essa suspeita deverá ser confirmada (ou nã0) com uma ecografia obstétrica.

O líquido amniótico é produzido principalmebte pela pele do bebê, pelo fluido traqueal (respiração fetal), urina do bebê, superfície da placenta e cordão. E depois é engolido pelo bebê, tornando o processo um ciclo.

A quantidade de líquido depende de vários fatores, inclusive, da quantidade de líquido ingerido pela mãe (por isso sempre reforçamos que a gestante deve tomar muita água).

Dentre as principais causas de oligodrâmnio estão:

  1. Rotura prematura da bolsa amniótica (devido a infecções ou traumas);
  2. Doenças relacionadas à insuficiência placentária (restrição de crescimento fetal e pré-eclâmpsia);
  3. Gravidez pós-termo (após 42 semanas);
  4. Presença de anomalias no bebê, principalmente as que afetam o sistema urinário do feto (rins, bexiga e etc.).

E quando o médico diagnosticou o oligodrâmnio???

Isso te respondo no próximo post! Até!

Fonte: Coleção FEBRASGO, Medicina Fetal.