Olá, ” Mulher Descomplicada”!!!! Hoje vamos falar da Síndrome dos Ovários Policísticos” (SOP)!!! Primeiramente, é importante esclarecer, que a síndrome dos ovários policísticos é diferente de ter ovários com aspecto subjetivo de micropolicistose ao ultrassom (ecografia). Quando achado apenas ultrassonográfico o seu manejo e importância clínica são completamente diferentes.

Sabe-se, que cerca de 20% das mulheres saudáveis apresentam ovários com características de SOP à ultrassonografia e apenas pequena porção delas tem hiperandrogenismo (sinais e sintomas causados pelo excesso de hormônio masculino no corpo da mulher) e irregularidade menstrual (o que preocupa a todos quando ouvimos esse diagnóstico).

A avaliação ultrassonográfica dos ovários nas pacientes com suspeita de SOP deve evidenciar ovários com número superior a 12 folículos (“micro cistos”) entre 2 a 9 mm de diâmetro ou volume ovariano aumentado (> 10 cm3) e ser achado BILATERAL (nos dois ovários).

O diagnóstico da SOP é um dentre outras doenças que também causam os sinais e sintomas da SOP e precisam ser investigadas, tais como: hiperplasia adrenal congênita, tumores secretores de androgênios, hiperprolactinemia, hipotireoidismo, síndrome de Cushing e até mesmo falência ovariana precoce.

A SOP é o distúrbio endócrino mais comum em mulheres na idade reprodutiva e acomete cerca de 4-12% dessa população. Caracteriza-se por ciclos anovulatórios (quando a mulher pode até menstruar, mas não há ovulação), oligomenorreicos ou amenorreicos (os ciclos são longos, a menstruação demora para vir e as vezes nem vem), infertilidade, hiperandrogenismo (acne e hirsutismo/aumento de pêlos em regiões do corpo da mulher em que habitualmente não há muitos pêlos), obesidade além dos ovários aumentados de volume.

Ainda, vale destacar, que os critérios diagnósticos, características ultrassonográficas estão em constante reavaliação pelas diversas sociedades (ginecologia, endocrinologia, radiologia,…) E, somente  seu (sua) médico(a) saberá te orientar e realizar diagnóstico correto!!!

Feito o diagnóstico, é de extrema importância, que a SOP seja tratada adequadamente para prevenir complicações a longo prazo!!!!

Os estudos mostram que pacientes com  SOP  têm risco aumentado, por exemplo, de câncer de endométrio, doenças cardiovasculares (síndromes metabólicas), diabetes mellitus e ainda, complicações obstétricas, tais como: abortamento, diabetes gestacional, pré-eclampsia (pressão alta da gestação). Por isso, é uma síndrome que merece especial atenção !!!! 

*** Novamente: a mulher que apresenta vários “microcistos” à ecografia, mas não tem a síndrome de ovários policísticos não tem os fatores de risco que falei ali em cima!

Bom….por hoje era isso!!!

No próximo post, falaremos um pouco mais de SOP e seu manejo!!!!

Beijos!!!

Fonte: (1) GINECOLOGIA DE WILLIAMS, 2011; (2) SOGIMIG, 2012