Olá, pessoal!!!

Hoje vamos falar das dores de cabeça… Qual método anticoncepcional podemos utilizar quando temos enxaqueca?!? Ué, não pode ser qualquer um? Pior que NÃO …

As dores de cabeça frequentes são uma condição clínica muito comum, o que acarreta muitas dúvidas.

Bom, em primeiro lugar é preciso definir qual é o tipo de dor de cabeça que você tem. É necessário saber se estamos diante de uma cefaleia tensional (dor de cabeça relacionada a stress, ansiedade), de uma enxaqueca com ou sem aura (aura é quando temos sintomas que antecedem a enxaqueca, como “ver luzinhas”, ficar com a visão turva… ), ou uma dor de cabeça relacionada ao ciclo menstrual / TPM. E, ainda, saber se tem algum outro problema de saúde (como hipertensão arterial), além da sua idade e seus hábitos de vida (se fuma, utiliza bebida alcoólica… ).

Neste post, falaremos da ENXAQUECA. É um distúrbio neurovascular debilitante, que afeta cerca de 18% das mulheres e 6% dos homens. Há duas formas deste distúrbio neurológico: a enxaqueca com aura e a sem aura.

As mulheres usuárias de anticoncepcional e que têm enxaqueca com aura apresentam 2 a 4 vezes mais riscos de AVC (derrame) e têm piora de seus riscos cardíacos quando comparadas às não usuárias. Esse achado levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a alterar os Critérios Médicos de Elegibilidade para uso de Métodos Anticoncepcionais, e excluiu as mulheres com enxaqueca do uso de anticoncepcionais. E, também parece prudente a exclusão das mulheres com enxaqueca sem aura do uso de contraceptivos combinados. Resumindo: quem tem enxaqueca não deve utilizar pílula combinada (aquela que contém estrogênio e progesterona)!

Há estudos mostrando que o uso de pílulas somente de progesterona é uma alternativa para as pacientes com enxaquecas. PORÉM, o uso deve ser descontinuado se a dor de cabeça piorar após o início do método.

Vale frisar ainda, que se a enxaqueca aparecer pela primeira vez após início do uso de contraceptivos combinados ou isolados, o método também deverá ser suspenso.

Alguns destaques:

  • Enxaqueca sem aura e idade menor que 35 anos: categoria/condição (2) para uso de “hormônios” = as vantagens dos métodos geralmente são maiores que os riscos. Significa que pode utilizar com certa segurança, observando efeitos colaterais.
  • Enxaqueca sem aura e idade maior ou igual a 35 anos: categoria (3) para usar contraceptivos combinados ou isolados = riscos de usar são, geralmente, maiores que benefícios. Significa que, se não quer correr um risco maior de ter um derrame, vale a pena optar por outro método anticoncepcional.
  • Enxaqueca com aura e em qualquer idade: condição (4) para anticoncepção hormonal = risco inaceitável. Significa que é PROIBIDO usar pílula!!!

Assim, que tal optar por métodos não hormonais como o DIU de cobre ou a camisinha? E caso você não queira nenhum desses métodos, converse com seu ginecologista sobre o uso de pílulas com somente progestágenos (somente com um hormônio, como as que se usam na época da amamentação), que podem ser usadas mas devem ser descontinuadas se alterar o padrão da sua enxaqueca, ou sobre o DIU medicado.

Bom, meninas…era isso!!! Espero ter ajudado um pouco vocês!!!

Até o próximo post…

beijos

Fonte: (1) Manual de Critérios Médicos de Elegibilidade da OMS para uso de Métodos Anticoncepcionais, FEBRASGO, 2010; (2) Ginecologia de Williams, 2011; (3) http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26630354; http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23771276