Você já ouviu falar alguma coisa sobre vaginismo? Não? Vamos descomplicar um pouquinho?

Vaginismo mesmo sendo algo que muitas pessoas não sabem o que é, não é tão raro assim. Acomete 5% das mulheres em algum grau. Mas não é assunto muito presente nas rodas de conversas entre amigas, pois a maioria se sente diferente e tem medo de não ser compreendida.

Mas afinal de contas o que é vaginismo? Vaginismo é quando há contração involuntária dos músculos do assoalho pélvico, causando espasmo local que impede a penetração, seja do pênis, objetos ou até mesmo do dedo. A dor está ligada a penetração, algumas mulheres até conseguem ter relação sexual mas sentem ardência e dor, outras não conseguem ter qualquer tipo de penetração, como se a vagina estivesse totalmente fechada.

O vaginismo é um diagnóstico de exclusão, logo é preciso afastar causas de dispareunia (dor na relação sexual), como infecções, feridas ou dificuldade de lubrificação adequada. Lembre-se: Vaginismo está relacionado a dor na penetração e as contrações não são por desejo próprio.

O vaginismo pode estar presente desde a primeira tentativa de relação sexual, e até mesmo impedir a mulher de introduzir um absorvente interno, já outras podem ter uma vida sexual prazerosa e desenvolver o vaginismo um tempo depois. Infelizmente, na sua grande maioria, está relacionado a causas emocionais, seja ela, abuso sexual, repressão religiosa ou cultural (onde a mulher tem vergonha de sentir prazer), ou até mesmo por uma primeira vez dolorosa, o que gera medo na mulher e isso tudo acaba virando um ciclo. Assim sendo, quando o parceiro chega perto, paciente lembra da dor, sente medo, as contrações involuntárias iniciam e não é possível ter penetração.

Mas algo muito importante precisa ser dito, o vaginismo tem tratamento e cura. Logo, logo teremos um post sobre as opções de tratamento. A compreensão e ajuda do seu parceiro é essencial e o primeiro passo. Então, levante a cabeça,vá em frente e procure ajuda especializada, porque a mulher tem o direito de ter prazer!