Pois é, mulher descomplicada! Os anticoncepcionais hormonais combinados, como algumas pílulas, o injetável mensal, o anel vaginal e o adesivo, não servem apenas para evitar uma gravidez não planejada. Eles apresentam outros benefícios também e nós vamos listar aqui apenas os comprovados pela Organização Mundial da Saúde:

  • Redução da cólica menstrual;
  • Redução do fluxo menstrual (60 a 90%);
  • Redução da dor associada à endometriose;
  • Redução do risco de gestação ectópica (gravidez fora do útero);
  • Redução do risco de câncer de ovário (20%);
  • Redução do risco de câncer de cólon (20%);
  • Redução da tensão pré-menstrual;
  • Redução da acne;
  • Redução do hirsutismo (crescimento excessivo de pelos que seriam normais em partes do corpo tipicamente masculinas com queixo, buço, ao redor dos mamilos, etc.);
  • Redução do risco de doença inflamatória pélvica (inflamação do útero, ovários e/ou tubas uterinas);
  • Redução de anemia por carência de ferro;
  • Redução do risco de câncer de endométrio – camada que fica dentro do útero (50%);
  • Redução da mortalidade.

Viu só? Diante de tantas notícias falando mal dos anticoncepcionais hormonais combinados, temos que lembrar que eles também tem seus benefícios. Por isso, é muito importante passar por uma consulta ginecológica antes de iniciar qualquer método contraceptivo, para que os riscos e os benefícios sejam avaliados pelo seu ginecologista de confiança e você possa fazer a melhor escolha. Fica a dica!

Fonte: 1) Ferriani RA, Vieira CS, Brito LGO. Rotinas em ginecologia. São Paulo: Editora Atheneu, 2015. 2) World Health Organization (WHO). Department of Reproductive Health and Research (RHR) and Johns Family Planning: A global handbook for providers (2011 Update).